Isto não é uma revista

delasedemaisnnguem

Editorial

Catarina Carvalho, diretora

catarina-carvalhoQuem está a contactar com este nome – delas.pt – pela primeira vez fique a saber que a informação que tem nesta revista não é senão uma ínfima parte do que somos. Porque esta edição não é o primeiro número de uma revista nem o mais recente suplemento do Diário de Notícias. Esta revista é, apenas – e já explico porque digo apenas –, uma edição em papel do site delas, que coincide com o seu primeiro aniversário. O www.delas.pt foi fundado há um ano, dá informação sob o ponto de vista feminino e já é líder no seu segmento praticamente desde o segundo mês.

Delas.pt é um site sem preconceitos, como são as mulheres, hoje – com todo o exagero que há em dizer, de forma generalista, «as mulheres». Tratamos de todos os temas, da política à economia, da moda à beleza, família, sexo e fitness, de um ponto de vista feminino – o que, e mais uma vez generalizando, implica informação mais direta ao assunto, prática e com melhor medida das suas consequências. Foi assim que nos tornámos líderes, praticamente desde o princípio, atingindo os 14 milhões de visualizações mensais.

É estranho, então, que um site de sucesso – uma coisa moderna e ao tempo – faça uma edição em papel? Seria, para os puristas, o que não é o caso. O papel, enquanto existir, manterá o brilho, a beleza e a perenidade. Tanto que nos convenceram a comemorar um ano de resistência desta forma.

Isso ajuda-nos a continuar a estar onde os leitores e as leitoras querem que estejamos. Entretanto, inaugurámos também um programa na TSF, onde, às quartas-feiras, às oito da noite, entrevistamos mulheres. Isto foi, aliás, o que norteou a ideia de fazer um site deste o princípio. A ideia começou a surgir há cerca de dois anos, num misto de um sonho e projeto, com o frenesim que as coisas mais novas sempre dão, e com as dúvidas que a situação dos media traz a quem quer inovar – em Portugal e em qualquer lugar do mundo.

A lógica era simples: o que fazem as mulheres? Consomem informação. Onde estão as mulheres que consomem informação? Online. Onde está a informação online que desejam consumir? Em lado nenhum.

Resumidas à partida as condições, iniciámos logo a aventura? Não. Porque num grupo de media que tem como porta-estandartes o Diários de Notícias, o Jornal de Notícias ou a TSF, lugares do melhor jornalismo português, não podíamos fazer um site que não fosse diferenciador. Não podíamos ser um meio de futilidades e ideias feitas sem correias de transmissão. Tínhamos de fazer o jornalismo rigoroso em que se defendem as causas mais nobres, porque esse é o jornalismo que muda o mundo, também o feminino.

É isso que fazemos no www.delas.pt, 24 horas por dia, sete dias por semana. Jornalismo com rigor e contemporaneidade, descobrindo tendências, dando conselhos e ajudando a vida do dia-a-dia de quem nos lê e segue. Histórias para contar, que mostram como o mundo pula e avança. Vá lá espreitar!

 


O que é o Delas.pt

Delas.pt é o site de informação para mulheres líder de audiências em Portugal.

Foi lançado em janeiro de 2016 e nesse mesmo mês tornou-se o título feminino com mais público na internet. Em números: janeiro 1,5 milhões de visitas; maio 1,9 milhões; e outubro 2,2 milhões.

grafico

Porquê? Porque damos notícias que interessam às mulheres, no seu smartphone, na palma da mão. Notícias da atualidade numa perspetiva feminina. Informação rigorosa, sensível, interessante e sobretudo útil para o dia a dia.

Atualidade, moda, beleza, corpo e mente, carreira, família, lifestyle e muito mais, todos os assuntos tratados com um ponto de vista informativo.

Delas.pt é uma marca de informação online em crescimento.

Agora é também um programa de entrevistas na rádio TSF com mulheres que nos inspiram. No Conversa Delas, conduzido por Catarina Carvalho, diretora da área de revistas do Global Media Group, e Carla Macedo, editora executiva do Delas.pt, desfilam mulheres portuguesas que se destacam na política, na investigação científica, nas artes e nos direitos das mulheres, que contam as suas histórias de vida e as suas visões da atualidade.